GECI e NEAI realizam conferência com o prof. Oliveiros S. Ferreira: O Conceito de Hegemonia em Relações Internacionais

No dia 03/12, o GECI (Grupo de Estudos sobre Conflitos Internacionais), coordenado pelos professores Reginaldo Mattar Nasser e Paulo José dos Reis Pereira, em parceria com o NEAI (Núcleo de Estudos e Análises Internacionais), coordenado pelo Professor Marco Aurélio Nogueira, recebeu o Professor Oliveiros Ferreira para proferir uma palestra sobre o tema de sua livre-docência, finalizada em 1981 e publicada em 1986 pela editora UNB, intitulada: “Os 45 Cavaleiros Húngaros”, mais em específico sobre o conceito de Hegemonia nas Relações Internacionais.

Oliveiros faz parte dos primeiros acadêmicos a pesquisar temas das Relações Internacionais no Brasil enquanto campo epistêmico. Oliveiros faz parte da academia desde 1953, quando entrou no quadro docente da FFLCH -USP e aposentou-se em 1983. Atualmente é professor da PUCSP do departamento de Relações Internacionais desde 1997 e é professor do Programa de Pós Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas (UNESP-UNICAMP-PUCSP).

Na livre-docência, Oliveiros desenvolveu sua tese sobre Gramsci e o conceito de Hegemonia, onde procurou compreender as relações entre subordinados e dirigentes. Assim, tendo como questão: “como o ‘grande número’ aceita a subordinação e quais os fatores existentes na realidade social que permitam romper com o círculo da desigualdade, fazendo com que a miséria de ontem aceita como natural (por legítima ou necessária), apareça como insuportável, permitindo que a covardia dos escravos (Rousseau) se transforme numa hostilidade furiosa com relação a ordem estabelecida” (FERREIRA, 1986, p. 7).

A compreensão do conceito de Hegemonia nas Relações Internacionais permite um olhar mais robusto para as relações sociais de poder entre Estados e/ou comunidades organizadas. Como dito pelo prof. Oliveiros na palestra: “o termo hegemonia não é fácil (…) inclusive nós acadêmicos usamos de forma errada. Advém da palavra grega hegemon e se refere a um indivíduo (no singular), por vezes é visto no plural (eg: a OMC tem hegemonia, a OEA tem hegemonia) o que é errado. Quem trouxe o termo para a Academia, foi Gramsci e nele não é plural, mas individual. Gramsci nos oferece um campo muito amplo que obriga que cuidemos da ‘sociedade’, dos ‘indivíduos’ e de ‘uma individualidade excepcional’” (para entender hegemonia nas Relações Internacionais).

Para mais informações, segue acima o vídeo na íntegra da palestra proferida pelo prof. Oliveiros, gravado por Genira Chagas, do IPPRI (Instituto de Políticas Públicas e Relações Internacionais).

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s